Carreira de programador/desenvolvedor

Olá pessoal, hoje iremos tratar de um assunto mais ‘dissertativo’, deixando linhas de código para o próximo post, rs..

Esses dias assistí a um vídeo (que está logo abaixo a este texto, mais que fica melhor para você assistir quando terminar de ler) que retrata a vida de um cara que trabalha com T.I, mais especificamente programando e desenvolvendo. A pessoa passa o dia inteiro perante uma tela de computador, pode ser engraçado para quem trabalha na área mas talvez desmotivador para quem quer iniciar na carreira.

Assim como qualquer profissão, a pessoa que deseja ingressar nesta área precisa gostar, esse é o segredo da coisa. Se você desenvolve/programa o dia inteiro no trabalho e chega em casa e ainda toca seus projetos pessoais, estuda por conta própria você realmente gosta. Lógico que não é ser algo que faça você perder sua vida social, existem dias que você realmente vai querer descansar, fazer outra coisa nas horas vagas, o importante é que você tenha essa vontade de aprender, de crescer e de vencer.

É comum vermos diversos profissionais da área reclamando que não tem vida, que ganham mal pelo tanto que estudam, que isso, que aquilo.. mais vamos lá.. veja só, existe uma enorme semelhança entre um médico que tem que sair pra atender a uma ocorrência e de um desenvolvedor que também é chamado em plena hora de descanso para consertar algo, os dois dificilmente vão gostar de ter que fazer isto em uma hora em que é destinada ao lazer, o que ocorre é: o médico muitas vezes não consegue ‘tuitar/postar’ sua revolta em algo, ou rede social, não consegue por pra fora o que tá sentindo.. fica lá na cabeça dele, já o programador/desenvolvedor sabe como compartilhar isto de diversas formas, tem sempre um gadget aqui e alí que permite por pra fora o que está sentindo em poucos segundos, seja no Twitter, Facebook, Google+…  portanto fica aparentemente mais visível que nosso ramo exige mais, que estressa mais, só que hoje em dia qualquer profissão exige muito de nós.

“Ah, mais nós temos que estar sempre prontos para aprender novas linguagens, metodologias de desenvolvimento e etc..” Bom, aproveitando a analogia do médico, veja só, assim como a tecnologia anda pra mim, pra você, anda pra ele também, nós temos de estudar pra aprender linguagem X, metodologia X, e ele estudar para aprender tratamento X, equipamento X.. Portanto se existe algo a ser culpado é a tecnologia que avança sem freio, e não as profissões.
Infelizmente o ser humano muitas vezes reclama de absolutamente tudo, só quer as coisas de mão beijada. Mas veja só, hoje em dia temos uma enorme quantidade de informação disponível e boa parte de graça espalhada por aí, tá lá esperando ser destroçada por quem sabe tirar vantagem disso.

A realidade é que você não pode jamais se deixar influenciar pelo que ouve, caso contrário você nunca conseguirá crescer, tem muita gente que trabalha na área e diz que não tem vida, que não consegue fazer nada.. acredito que seja por não saber administrar o tempo, pois conheço inúmeras pessoas que são extremamente talentosas no que desenvolvem e tem uma vida ótima, sendo feliz, aproveitando, se divertindo, mais uma vez: não é para culparmos a profissão.

“Ah, eu estudo, estudo e não consigo ganhar o dinheiro que faça valer o esforço” . Isso é algo que varia de uma série de fatores, únicos e diferenciais em cada um de nós. Existe uma espécie de ambição que todos deveriam ter.. a ambição em gostar do que se faz, isso gera ótimos resultados, resultando em uma ótima renda, pronto a equação é simples. E vale também o feeling empreendedor que deve ser trabalhado, você pretende ter sua própria empresa, prestar serviços? Ou quer ficar reclamando e programando sendo funcionário a vida toda?

O segredo, é essa frase abaixo composta apenas de verbos:
“Gostar, acreditar, se dedicar, se aprofundar, se especializar.”
Se você possui apenas o “gostar”, fique tranquilo, você sem dúvidas vai conseguir ter as próximas, e será prazeroso trazer soluções quando lhe apresentam problemas, estar o tempo todo com a cabeça ali em IF, ELSE, WHILE, FOR, e diversas e inúmeras vezes acordando no meio da noite brilhando na mente a resolução daquela lógica que você tava batendo a cabeça..

Veja abaixo o vídeo citado no início do post:


Forte abraço.