A crise, o mundo, a economia criativa e o empreendedorismo social!

O mundo passa por uma revolução, a tecnologia uma ascensão e o Brasil por uma crise.

A era em que vivemos é das revoluções, das inovações, de novas e criativas tecnologias, mas também tempos de crise e de muitos e muitos problemas espalhados pelo país e mundo.

O que mais se fala no Brasil atualmente, e escrevo este post em Setembro de 2015, é uma grande crise causada pelas imprudências de uma gestão corrupta e irresponsável, as notícias cada vez mais desanimadoras, previsões de retrações maiores a cada semestre (se concretizando) e uma grande negatividade sendo espalhada por todos os âmbitos do nosso país. Não apenas aqui, pelo mundo vemos casos de violência, intolerâncias, famílias de refugiados morrendo, sofrendo, sendo tratados de maneira desumana, pobreza, miséria, injustiça, fome, e o que mais imaginarmos, há muitos problemas e pouquíssimas soluções.

Voltando a falar um pouco do atual cenário brasileiro muitas mentes são afetadas pelo pessimismo, pela incerteza, pelo desânimo… A tal da crise.
É então diante tudo isto que uma letra e uma forma de pensar pode mudar tudo.
CRIsE – Neste momento peço que você se atente a palavra formada pelas letras maiúsculas.

Tempos de crise são tempos oportunos para que possamos sair da nossa zona de conforto, seja por livre espontânea vontade ou então pressão mesmo, necessidade, questão de sobrevivência.

Com isto trago agora a tecnologia, um meio, aliada a duas grandes revoluções: a economia criativa e o empreendedorismo social.
Na economia criativa, além de vários outros pontos, podemos resolver problemas da cidade, dos meios de transportes, da infra-estrutura em grandes metrópoles, diversos desafios para serem resolvidos. Em meio a diversos exemplos temos o AirBnB, Couchsurfing, Tripda, Uber, serviços fantásticos, que propõem o colaborativismo, o coletivo e soluções pragmáticas para problemas do cotidiano.

Com o empreendedorismo social podemos resolver, tentar, ou minimizar, problemas da sociedade, no mundo, injustiças, pobreza, trazer vida para quem morreu na vida. São soluções, que geram empregos, e até lucro, mas com um propósito social, seja de inclusão, readaptação, reinserção, promovendo a busca de soluções para diversos problemas sociais. Pesquisem sobre Grameen Bank, aqui no Brasil procurem saber sobre o Abraço Cultural, Atados, Acupuntura Urbana, Juntos, Máquina do Bem, Cupong e tantos outros mais que fazem a diferença.

Diante tudo isto temos uma série de problemas em nossas cidades, problemas com o próximo, com o mundo, com o país, e temos a tecnologia, que funciona como um excelente meio para diversos fins!
Temos potência, potência humana, de raciocínio e criatividade, capaz de propor as mais diversas soluções inovadoras, voltadas para prover reintegração, colaborativismo, combater diversos problemas da nossa sociedade. Somando todos os fatores conseguimos achar diversas oportunidades de fazer do mundo, um lugar melhor para todos viverem, seja com a economia criativa propondo soluções melhores e negócios inovadores e/ou com o empreendedorismo social, fazendo a diferença na vida de pessoas.

E se falarem pra você da tal da crise, financeira no país e a caótica do tempo e que vivemos, remova o “S” e CRIE! Use este cenário como tração para olhar para algo de errado ao seu redor e mudar, melhorar, transformar.
Gere renda, mas sobretudo gere diferença na vida das pessoas.